quarta-feira, 18 de janeiro de 2017


Tô pelo mundo!
Textura
Instagram
Facebook
Notícias

Robinson Faria solicita apoio da Força Nacional ao Governo Federal | 17/01/2017

unnamed (1)

O governador Robinson Faria se reuniu na manhã desta terça-feira (17) com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, em Brasília, para formalizar pedidos para reforço das operações nas missões referentes ao sistema de segurança pública, entre elas o emprego da Força Nacional para intervenção na penitenciária de Alcaçuz, em Nísia Floresta. As tropas devem atuar em apoio ao Batalhão de Polícia de Choque (BP Choque) nas ações no sistema prisional.

De pronto, o ministro atendeu ao pedido do governador de disponibilização de uma aeronave do ministério para a transferência dos cinco chefes de facções criminosas retirados do presídio na tarde de ontem, em operação conduzida pela polícia do RN. Os detentos serão transferidos para presídios federais.

 

Ao ministro, Robinson ainda pediu reforço de equipamentos e a disponibilização do helicóptero do Departamento da Força Nacional ao RN, por um período de 30 dias, em ações relacionadas ao sistema de segurança pública, aeromédicas e outras solicitadas durante a operação.

“O ministro foi extremamente atencioso e receptivo. Desde o início ele está acompanhando as medidas e estratégias adotadas para debelar a crise em Alcaçuz, com muita boa vontade, auxiliando o RN”, declarou o governador.

Amanhã, Robinson participará de reunião com o presidente Michel temer, às 15h, no Palácio do Planalto, para tratar do Plano Nacional de Segurança.

Compartilhe nas redes sociais:


Jegue Folia: Uma festa de oportunidades | 17/01/2017

unnamed

Em 2017, o Jegue Folia, micareta da cidade de Marcelino Vieira, chegou a sua 16ª edição e mais uma vez consolidou o seu grande sucesso diante dos maiores e melhores eventos do Brasil. Contando com uma forte grade de atrações composta pelo cantor baiano Bell Marques, a banda Chicabana e o jovem cantor Jonas Esticado, o evento teve em 2017 o seu maior número de foliões, fazendo desta edição, a maior de toda a história da festa. 

Além de muita diversão e animação para os foliões que participam da festa, o Jegue Folia tem mostrado seu grande potencial também em outro aspecto: O econômico. O evento movimenta diversos setores da economia não só da cidade de Marcelino Vieira, como também de toda a região. 

“Para se ter uma pequena noção do fomento econômico de um evento como o Jegue Folia, apenas a produção do evento movimentou mais de 70 mil reais em prestação de serviços como Cordeiros, Segurança e Aluguel de Hotéis e Pousadas, além de fornecimento de produtos de supermercado e posto de combustíveis”, destacou Ewerton Filgueira, Diretor do evento. 

Ainda de acordo com Ewerton, no setor imobiliário, por exemplo, onde os donos de pequenas pousadas e demais moradores que saem de suas próprias casas para alugarem aos foliões que participam do Jegue, os preços dos aluguéis de alguns imóveis valorizaram até 300%, e há imóveis que chegam a ser locados pelo preço de 10 mil reais. 

Além disso, o Jegue Folia também movimenta a economia das cidades de onde se originam os foliões de outras cidades e estados da região, movimentando a economia dessas localidades. Também ainda aliado as oportunidades de emprego e renda, moradores da própria cidade de Marcelino Vieira comercializam lanches, bebidas, estacionamento e demais produtos e serviços inerentes ligados a festa. 

“Um evento da envergadura do Jegue Folia, que deve movimentar cerca de 2 milhões de reais, entre investimentos do evento, como também dos gastos por parte dos foliões, merece um apoio e uma atenção especial por parte dos órgãos públicos, empresas privadas e demais setores da sociedade, para que o evento possa realizar ainda mais investimentos e melhorias para a realização da festa” finalizou Ewerton Filgueira.

Compartilhe nas redes sociais:


Barbárie em Alcaçuz: O maior massacre da história | 17/01/2017

Sem título

Fonte: Novo Jornal

Inaugurada em março de 1998, A Penitenciária de alcaçuz já foi palco de diversos episódios da crônica policial do Rio Grande do Norte. Fugas, mortes rebeliões. Nenhuma delas foi tão expressivo como o massacre registrado entre o sábado e o domingo passados.

 

Em todo o ano de 2016, 10 detentos foram assassinados dentro da unidade, segundo os dados da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), repassados pelo próprio titular da pasta, Wallber Virgolino. Somente durante a rebelião que marcou o fim de semana passado, o Estado contabilizou 26 assassinatos, todos com sinais evidentes de crueldade, corpos carbonizados, outros decapitados.

 

Desde sua fundação, a penitenciária teve 200 fugas. Não se registrava uma rebelião no estabelecimento prisional desde o final de 2015, quando os presos promoveram um quebra-quebra depois da descoberta de um túnel por onde haveria uma grande fuga.

 

A penitenciária foi também o local em que estavam os homens apontados como líderes da série de motins registrada em diferentes presídios do Rio Grande do Norte, no início de 2015. Foi de lá que partiu a ordem para os motins, por conta de reclamações de maus tratos dentro da unidade.

 

Passado todo esse tempo, Alcaçuz se tornou o centro das atenções entre as atuais dificuldades enfrentadas pelo sistema carcerário.

 

A construção inicial, segundo o que foi à época divulgado, custou R$ 10 milhões aos cofres públicos.

 

Quatro meses depois de ser posta em funcionamento, em julho de 1998, a penitenciária já registrou a primeira fuga. Um detento considerado de confiança saiu pela porta da frente, sem ser notado. Naquele momento os túneis, que hoje são rotineiramente encontrados sob as celas, não eram comuns.

 

Dois anos depois de abrir os portões, a penitenciária assistiu a uma das fugas que marcaram a história do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte. O assaltante de bancos Valdetário Carneiro foi resgatado por seu bando do presídio. Os homens chegaram em carros com armas de grosso calibre, inclusive uma metralhadora ponto 50, usada pelo Exército, e conseguiram tirar Valdetário da unidade à força, atacando as guaritas.

 

Além dele, outros 28 apenados conseguiram fugir, no episódio que se caracterizou na época como a maior fuga da história. O número foi batido em 2012, na evasão em massa que colocou 41 detentos na rua.

 

Os primeiros túneis começaram a ser descobertos pelos agentes penitenciários ainda no início dos anos 2000.

 

Atualmente, a Sejuc convive com uma realidade de uma unidade prisional que está acima de um complexo de caminhos subterrâneos cavados pelos presidiários, que há anos permitem diversas fugas.

 

O detento recapturado no ato da fuga após a rebelião do sábado, inclusive, saía por um buraco cavado no pé do muro.

 

Alcaçuz é o maior presídio do Estado, e dentro dele abriga a bomba relógio que são o Primeiro Comando da Capital e o Sindicato do Crime do RN. O duelo teve o seu capítulo mais sangrento durante o massacre.

 

Construída a partir de um Trabalho de Conclusão de Curso de duas estudantes de Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a Penitenciária Estadual de Alcaçuz era, na época, o que se imaginava como solução para substituir Penitenciária Estadual Doutor João Chaves, conhecida por Caldeirão do Diabo.

 

O estabelecimento foi projetado para ser de segurança máxima, com espaço para os apenados trabalharem, alas com preocupação com a ventilação, umidade e estrutura visando a evitar a evasão, com preocupação voltada para a ressocialização.

 

Porém as condições desumanas e insalubres às quais eram submetidos os presos do Caldeirão são realidade também de quem vive hoje nas carceragens de Alcaçuz.

Compartilhe nas redes sociais:


Através da mensagem do amigo Walterlin Lopes, acrescentando um buquê de flores para amiga Tica Soares. | 17/01/2017

A cidade de Caraúbas reverencia a sua filha ilustre, aquela que faz muito por sua terra: Tica Soares, bem amada do colunista Wandilson Ramalho, que completa 25 anos de jornalismo social, com trabalho iniciado através das ondas do rádio.

Tica é querida de todos os segmentos sociais. Em todos os quadrantes ela é aplaudida, porque trata de olhar para os que ascendem socialmente, revelado-os como referências importantes, do mesmo modo que contempla setores menos favorecidos e tenta ajudar.

Por isso os simples e importantes de sua terra sabem do seu valor e vão abraçá-la para mostrar sentimentos de amizade e de reconhecimento. Walterlin Lopes16002995_367735266922354_8733649146393852277_n

Compartilhe nas redes sociais:


A presença amiga foi o melhor presente. | 17/01/2017

15 16118034_678341932344096_1984764988_n 16144436_678341785677444_1709365639_n 16127995_678335145678108_1203344664_nA

Compartilhe nas redes sociais:


Buquê de flores com cheirinho de felicidades para Dona Lilor e do filho Paulinho recebeu essa mensagem. | 12/01/2017

15977951_1244619518949194_2601559162101308285_nHoje ela completa seus 88 anos! Só tenho a agradecer a Deus Por tanto merecimento em tê-la comigo , lúcida, serena , amiga , companheira e cheia de tanto amor , carinho e vontade de viver muito mais! Parabéns minha querida! Te amo demais! Obrigado por ser tão boa e maravilhosa comigo! Obrigado por me ensinar tanto como amar as outras pessoas!Paulinho

Compartilhe nas redes sociais:


Página 1 de 7312345...102030...Última »
Visitantes

18.303

Destaques
  • 13015301_1383949191630468_3516452155822410057_n
  • 16118085_678344495677173_240327612_n
  • 6
  • sem-titulo
Procurando algo?
Parcerias